III Congresso Brasileiro de Controle Público

Ética Pública e Desenvolvimento será o tema central dos debates do III Congresso Brasileiro de Controle Público que se realizará no Bahia Othon Palace Hotel, em Salvador, entre os próximos dias 24 a 26 de novembro. O evento é uma promoção do Instituto Brasileiro de Direito Público que conta com o apoio institucional da Advocacia Geral da União.

O evento pretende debater não só o cumprimento das formas e procedimentos legais, como também avaliar o desempenho de órgãos e entidades do Estado e da efetiva aplicação dos recursos públicos. Os ministros Luis Inácio Lucena Adams (AGU) e Cármen Lúcia Antunes Rocha (STF) já confirmaram suas presenças no evento. Inscrições e informações mais detalhadas podem ser conferidas no site www.direitodoestado.com.br/cp ou pelos telefones 08007075246 / (71) 2101-5246.

O congresso reunirá renomados agentes públicos e alguns dos mais destacados especialistas do país para uma avaliação pluralista e abrangente da atuação do controle público no Brasil no plano federal, estadual e municipal, a exemplo de Ministra Eliana Calmon (DF), Luiz Navarro de Britto Filho (DF), Luiz Alberto dos Santos (DF), Márcio Cammarosano (SP), Luciano Ferraz (MG), Marcelo Siqueira Freitas (DF), Alexandre Aragão (RJ), André Franco Montoro Filho (SP), Dalmo de Abreu Dallari (SP), Paulo Modesto (BA), dentre outros.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Evento

1 Comment

  1. José Fernando Pereira

    Eu, JoséFernando Pereira, venho por meio deste demonstrar a minha satisfação ao ler o conteudo da matéria em debate nesta temporada, embora seja final de exercício mas muitos administradores de bens e recursos públicos precisam de fato de mais prensas sobre a transparencia da administração. Deveria haver sim repartições públicas dentro de uma administração no sentido de fiscalizar os trabalhos do Legislativo também, sesaber do que tem os vereadores realizados no sentido de fiscalizar o Poder Executrivo e punir aqueles que estejam sendo omissos e coniventes. Dizer a verdade não é crime, não podemos é afirmar casos de desvios ou suspeições, mas dizer que alguns procedimentos em muyitas Câmaras são ilegais isso sim, nãoé crime.Em minha cidade de Faria Lemos sou Vereador pela primeira vez e não tenho decepcionado aos meus eleitores, a finalidade da minha estada ali entre os representantes do povo estou execendo, fiscalizar, falar e trabalhar no sentido que os nossos recursos sejam melhor aplicados. Graças a Deus tenho feito isso, pena que não tenhamos a maioria na Câmara de Vereadores,mas estamos próximo disso.Graças a Deus tenho trabalhado da mesma forma, não desanimo e nem descacredito na justiça, ela um dia aparecerá e aí as coisas mudam sim, questão de mudar as formas de se cobrar da administração por transparência nas coisas públicas.Abraços a todos o leitores e leigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *