Um terço da Câmara de Curitiba disputará eleição em 2010

Muitos vereadores estão aproveitando o recesso de julho para correr região metropolitana

Levantamento do Jornal do Estado aponta que pelo menos 12 dos 38 vereadores de Curitiba planejam disputar cadeiras na Assembléia ou Câmara dos Deputados nas eleições de 2010. As agendas dos parlamentares consultadas nas assessorias da Casa, confirmam que os vereadores estão trabalhando não somente em suas bases eleitorais, como ampliando a área de atuação, incluindo sindicatos, igrejas, pastorais e até cidades da Região Metropolitana de Curitiba (RMC).

O trabalho de conquista de votos pode ser visto nas inúmeras reuniões marcadas pelos vereadores. Um dos exemplos é o vice-líder do prefeito Beto Richa (PSDB), na Câmara Municipal, vereador Serginho do Posto (PSDB). Procurado pela reportagem nos últimos dias, ele estava em uma reunião e, horas depois, parou numa rua para atender uma entrevista feita pelo telefone celular. “Daqui, estou indo para outro encontro com moradores”, disse.

Procurado para fazer um balanço sobre o primeiro semestre do ano, o presidente da Comissão de Legislação Justiça e Redação (CLJR), vereador Jair Cézar (PSDB), também estava em reunião com correligionários tucanos.

O trabalho dos vereadores ocorre há 15 meses da eleição, marcada para o dia 3 de outubro de 2010.

Líderes partidários também já articulam as alianças para o pleito. Entre eles estão o presidente da Câmara Municipal, João Cláudio Cláudio Derosso (PSDB). O tucano não pretende apenas ser candidato à Assembleia Legislativa, como também quer participar ativamente do processo, discutindo inclusive o nome do partido que deve ser candidato à sucessão de Roberto Requião (PMDB) e as duas vagas que serão disputadas para o Senado.

Um vereador, pedindo para não ser identificado ainda como candidato, confessa que “durante o recesso, terei que ficar a maior parte do tempo em Curitiba e trabalhar na finalização dos relatórios e trabalhos que deixei na câmara, mas escapo para cidades da região, onde preparo cabos eleitorais e lideranças de bairros dos municípios vizinhos”, admite.

Retomada – Dos partidos representados na Câmara, o que mais terão candidatos são o PSDB e PT. O PT deve colocar pelo menos três vereadores nas ruas para disputar votos. A intenção é ampliar a votação na legenda, que na eleição municipal teve um desempenho ruim, quando a então candidata Gleisi Hoffmann (PT) ficou em segundo lugar com 18% dos votos, contra 77% de Beto Richa (PSDB). O partido do presidente Lula é o que mais sofre com a saída de antigos militantes que, de certa forma, saíram da agremiação se dizendo decepcionados com os rumos tomados. Os destinos mais comuns foram PMDB, PDT, PC do B, Psol e PSTU.

Nome — O PSDB vai depender muito de quem será candidato à sucessão do governador Roberto Requião (PMDB). Se o candidato for o prefeito de Curitiba, Beto Richa (PSDB), tende-se a eleger mais nomes da capital para o Legislativo. Porém, se o candidato for o senador Alvaro Dias (PSDB), os votos se dispersam pelo Interior e Litoral. Pela projeção da pesquisa do Ibope, divulgada na semana passada, pode-se perceber isso.

Fonte: BemParaná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *