Licitude do pagamento de Verba de Representação

SC

Observados os princípios da razoabilidade e da capacidade do erário, é lícito que o Presidente da Câmara de Vereadores, além dos subsídios pagos a todos os Vereadores, perceba valor especificado como verba indenizatória, fixada em lei, mesmo no transcurso da legislatura, devido à função que exerce como representante do Poder Legislativo, compatível com as responsabilidades e a carga extra decorrente do exercício das funções representativa e administrativa, que podem merecer correspondente retribuição pecuniária, desde que haja dotação orçamentária específica no orçamento da Câmara.

A fixação da parcela indenizatória ao Presidente da Câmara de Vereadores não incidirá sobre os limites máximos fixados pelos incs. VI e VII do art. 29 nem sobre o percentual instituído pelo §1º do art. 29-A, ambos da Constituição Federal, bem como sobre a despesa total com pessoal prevista pelo art. 18 da Lei Complementar n. 101/00, mas incidirá sobre os percentuais elencados pelo caput e incs. do art. 29-A da CF.

Decisão nº 2342/2002 – TCE-SC

1 Comment

  1. Marinês

    E o TCE-RS o que pensa a esse respeito? Acho que o vereador que assume como Presidente da Camara, o faz de livre e espontânea vontade, por que receber a mais? É Presidente da Camara porque realmente deseja trabalhar pela comunidade ou só pela verba de representação?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *